Complexo Paroquial de Santa Suzana



Descrição geral do projeto

O Complexo Paroquial de Santa Suzana foi projetado para atender às necessidades pastorais da nossa Paróquia.

Entre as várias opções arquitetônicas e estéticas, foi escolhida a que melhor atendesse às recomendações do Concílio Vaticano II e, ao mesmo tempo, apresentasse uma certa beleza e harmonia entre os seus edifícios.

O principal impulso do projeto arquitetônico foi, portanto, o desejo de construir um Complexo Paroquial que possa ser um sinal visível e perceptível da beleza da vida cristã e, assim, "ajudar a chamar toda a humanidade para a casa da Igreja” (SC, 1)

Assim, o complexo paroquial possui três edifícios principais:

  • A Matriz Paroquial, bem no centro, assim como “a Liturgia é a meta para a qual se encaminha a ação da Igreja e, ao mesmo tempo, a fonte de onde emana toda a sua força” (SC, 10)
  • O Centro Pastoral, com espaços próprios para a catequese, reuniões, orações e pequenas celebrações, posto que “os homens, antes de poderem participar na Liturgia, precisam ouvir o apelo à fé e à conversão e, também aos que creem, a Igreja tem o dever de pregar constantemente a fé e a penitência, de dispô-los aos Sacramentos, de ensiná-los a guardar tudo o que Cristo mandou” (SC, 9)
  • O Centro Social e de Formação para o Trabalho (Caritas), onde se possa exercitar, de forma concreta, “o estimulo constante da Igreja a tudo o que seja obra de caridade, de piedade e apostolado, onde os cristãos possam mostrar que são a luz do mundo” (SC, 9)

Desta forma, o Complexo Paroquial de Santa Suzana será um sinal visível das três dimensões da atividade eclesial (conforme CIC 6 e CIC 1588):

  • O Centro Pastoral representa a Palavra, o anúncio do Evangelho para suscitar a fé, a busca das razões de crer;
  • A Igreja Matriz representa a Liturgia, a experiência da vida Cristã, a celebração dos sacramentos;
  • O Centro Social e de Formação para o Trabalho (Caritas) representa a Caridade, a integração na comunidade eclesial, o testemunho apostólico e missionário.

O projeto arquitetônico ainda contempla:

  • A Casa Paroquial, para acolher uma comunidade de sacerdotes que organize e, juntamente com ministros e leigos, preste os serviços pastorais à comunidade de fiéis e o anúncio do Evangelho aos que estão ausentes;
  • Um estacionamento e um salão de festas (ambos no Subsolo) para melhor acolher os fiéis e proporcionar espaço para manifestar a alegria trazida por Cristo através de celebrações e refeições festivas.

Por imposições do Código de Obras, o Centro Social e de Formação para o Trabalho tem acessos de veículos e de pedestres independentes dos demais edifícios. Já a Matriz Paroquial, o Centro Pastoral e a Casa Paroquial terão acessos comuns, sendo espaços integrados entre si.

A capela de Santa Suzana, que marca a presença da Paróquia no terreno desde os seus primórdios, será preservada como um memorial da história da Paróquia, com acessos também independentes.


A fé se expressa com ações concretas!
O Senhor provê tudo a todos, em particular aos que colaboram com a sua Igreja!

Juntos, edificamos o Reino de Deus!







Seja Um Benfeitor!

Preencha o Termo de Adesão, entregue-o preenchido para os irmãos da acolhida, ou faça um depósito espontâneo.


Plantas

(Clique nas figuras para vê-las ampliadas)


Matriz Paroquial

Centro Pastoral Térreo

Centro Pastoral 1º Andar

Casa Paroquial



Detalhes da arquitetura da Igreja Matriz

A Matriz Paroquial tem capacidade 600 pessoas. Ao seu lado e integrada a ela, está a Capela do Santíssimo e um hall de circulação que integra a Matriz ao Centro Pastoral. Faz parte ainda da Matriz a torre com o campanário, referências de localização e chamamento para os fiéis.

Internamente, a Matriz Paroquial foi desenhada de modo a oferecer um espaço celebrativo organizado de modo que a assembleia reunida represente o Corpo Místico de Cristo e de modo a promover uma participação ativa dos fiéis na liturgia, em particular da celebração da Eucaristia, como membros de uma comunidade e não como uma massa de pessoas anônimas.

Assim, a nave central é organizada de modo a seguir, mais ou menos, a figura simbólica do corpo humano:

  • A sede da presidência representa a cabeça de Cristo;
  • O altar da Palavra (ambão) representa a boca de Cristo;
  • A mesa eucarística (altar) representa o estômago, bem no centro, destacando a refeição pascal;
  • A piscina batismal vem em seguida, na região “das águas”;
  • Por fim, a assembleia, como membros do corpo, dispostos ao redor dos demais elementos, em anfiteatro, facilitando a visibilidade de tudo e de todos.

Acima da assembleia, estão representados os mistérios da nossa salvação, na chamada coroa mistérica. Acima dos ícones, janelas, para que o céu seja visível – que possamos ver o céu.